Brazil

Avicta 500 FS

registration_data_unavailable
SYNGENTA - insecticide
20107

INSTRUÇÕES DE USO
CULTURAS/ DOENÇAS/ DOSES/ NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO
ALGODÃO
ÉPOCA: AVICTA 500 FS deve ser utilizado uma única vez na forma de tratamento de sementes, antes da semeadura, visando a proteção inicial da cultura do ataque dos nematóides.
CANA-DE-AÇÚCAR (Propágulos Vegetativos)
ÉPOCA: AVICTA 500 FS deve ser utilizado exclusivamente para tratamento dos propágulos vegetativos, pelo fornecedor do produto, antes do plantio, sempre que o histórico e/ou a amostragem prévia das áreas identificar a presença de nematóides.
MILHO
ÉPOCA: AVICTA 500 FS deve ser utilizado uma única vez na forma de tratamento de sementes, antes da semeadura, visando a proteção inicial da cultura do ataque dos nematóides e da Lagarta-elasmo.
Utilizar a maior dose em situações de alta pressão das pragas. No caso da Lagarta-elasmo em plantios no início da estação chuvosa, no caso do nematóides-das-lesões em áreas com histórico de ocorrência de danos comprovados decorrentes do ataque deste nematóide.
Utilizar a maior dose também nos casos de híbridos sem resistência genética a insetos, ou sem resistência genética ao nematóide-das-lesões (Fator de Reprodução maior do que 1)
A dose para 60.000 sementes deve ser suficiente para tratar o equivalente a 1 hectare de área.
SOJA
ÉPOCA: AVICTA 500 FS deve ser utilizado uma única vez na forma de tratamento de sementes, antes da semeadura, visando a proteção inicial da cultura do ataque dos nematóides e da Lagarta-elasmo. A maior dose deve ser utilizada em caso de variedades mais suscetíveis ao ataque de nematóides.

MODO DE APLICAÇÃO
ALGODÃO
Tratamento de sementes: Para promover proteção das plantas de algodão do ataque de nematóides no início do ciclo da cultura.
IMPORTANTE: Independente da quantidade de sementes utilizadas por hectare, manter a dose estabelecida por quilograma de sementes. Em campos normais de algodão no Brasil, o consumo de sementes varia entre 12 a 20 kg de sementes por hectare, nestas quantidades de sementes, a dose por hectare pode variar de 36 a 60 mL de produto comercial por hectare.
Volume de calda recomendado: Diluir o produto em 500 – 700 mL de água, o suficiente para tratar 100 kg de sementes.
CANA-DE-AÇÚCAR (Propágulos Vegetativos):
Aplicação através de tratamento industrial, pela empresa registrante, de propágulos vegetativos (mudas) antes do plantio na cultura de cana-de-açúcar. É VEDADA QUALQUER OUTRA MODALIDADE DE USO.
MILHO
Tratamento de sementes: Para promover proteção das plantas de milho do ataque de nematóides e da lagarta-elasmo no início do ciclo da cultura.
A dose maior deverá ser usada em casos de áreas com histórico de infestação ou ataque na cultura anterior. No caso do nematóide-das-lesões, fazer amostragem populacional na área antes do plantio (através de coleta de solo e raiz e envio para laboratório de nematologia) e realizar o tratamento se for detectada a presença de nematóides na área.
Volume de calda recomendado: Diluir o produto em 800 mL de água, o suficiente para tratar 100 kg de sementes.
SOJA
Tratamento de sementes: Para promover proteção das plantas de soja do ataque de nematóides e da lagarta-elasmo no início do ciclo da cultura.
Volume de calda recomendado: Diluir o produto em 500 mL de água, o suficiente para tratar 100 kg de sementes.

OBSERVAÇÕES
Algodão, soja e milho: AVICTA 500 FS é recomendado para promover a proteção inicial das plântulas ao ataque de nematóides. Estudos realizados no Brasil e no exterior comprovam que o dano causado pelo ataque de nematóides é mais importante no desenvolvimento inicial das culturas. Em testes realizados no Brasil, a proteção causada pelo tratamento de sementes com AVICTA 500 FS proporcionou maior produtividade às culturas.
O tratamento de sementes com AVICTA 500 FS não irá eliminar os nematóides de uma área atacada, sempre que possível o tratamento com AVICTA 500 FS deve ser associado com outras técnicas, como rotação de culturas.

Instruções para preparo da calda
Passo 1- Colocar a quantidade de produto desejada em um recipiente próprio para o preparo da calda.
Passo 2 - Colocar parte da água desejada gradativamente, misturando e formando uma mistura homogênea.
Passo 3 - Completar com a quantidade de água restante até atingir o volume de calda desejado.
Importante: Manter a calda em agitação permanente para evitar decantação.

Equipamentos de aplicação
Utilizar equipamentos que propiciem uma distribuição uniforme da calda sobre as sementes.
Existem máquinas específicas para tratamento de sementes fornecidas pelos seguintes fabricantes: Momesso, MecMaq, Niklas, Gustafson, etc.

Manutenção:
Os mecanismos dosadores e pulverizadores destes equipamentos devem ser revisados e limpos diariamente ou a cada parada do equipamento. Resíduos de calda podem reduzir a capacidade das canecas ou copos dosadores ou afetar a regulagem de bicos e ou mecanismos de aplicação da calda sobre as sementes.
Com equipamentos de tratamento com fluxo contínuo de sementes:
Passo 1 – Aferir o fluxo de sementes (peso) em um determinado período de tempo.
Passo 2 – Regular o volume de calda desejado para este peso de sementes, no mesmo período de tempo.
Importante
Aferir periodicamente o fluxo de sementes e de calda a fim de evitar erros na aplicação.
Nunca tratar as sementes diretamente sobre lonas, sacos ou mesmo nas caixas de sementes das máquinas semeadoras.
A utilização de meios de tratamento de sementes que provoquem uma distribuição incompleta ou desuniforme do produto sobre as sementes, pode resultar em níveis indesejados ou falhas no controle dos alvos biológicos.

INTERVALO DE SEGURANÇA
(período de tempo que deverá transcorrer entre a última aplicação e a colheita):
ALGODÃO, MILHO, SOJA: Não especificado devido à modalidade de emprego (tratamento de sementes).
CANA-DE-AÇÚCAR: Não especificado devido à modalidade de emprego (tratamento de propágulos vegetativos - mudas).

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS
Não especificado devido à modalidade de emprego (tratamento de sementes).

LIMITAÇÕES DE USO
Na operação de semeadura mecanizada com sementes tratadas, estas apresentam uma redução no fluxo, comparativamente a sementes não tratadas. Para evitar utilizar uma quantidade menor de sementes que a usual e recomendada, deve-se regular a semeadura com as sementes já tratadas. As semeadoras e seus kits de distribuição de sementes devem ser limpos diariamente para evitar o acúmulo de resíduos nas paredes e engrenagens das mesmas. A falta deste tipo de manutenção pode alterar o fluxo de semeadura ou até mesmo provocar o bloqueio do equipamento. A não observância destas indicações pode resultar em baixa população de plantas, falha no plantio, excesso de sementes por metro ou outras irregularidades no plantio. Em função da baixa quantidade do produto, a ser uniformemente distribuída em 100 kg de sementes, recomenda-se cuidados especiais nessa operação.
Fitotoxicidade para as culturas indicadas
A formulação do AVICTA 500 FS foi especialmente desenvolvida para o tratamento de sementes e tratamento industrial de propágulos vegetativos (mudas de cana-de-açúcar).
O produto não apresenta qualquer efeito fitotóxico nas culturas e nas doses recomendadas.
Outras restrições a serem observadas:
- Visando alcançar o melhor potencial produtivo das culturas de algodão, milho e soja, recomenda-se o tratamento adicional com inseticidas sistêmicos, caso seja necessário o controle de outras pragas, e fungicidas, no tratamento de sementes.
- Não deixe sementes tratadas expostas ao sol.
- Caso ocorra derramamento de sementes tratadas no momento do carregamento da plantadeira ou no plantio, coletar as sementes ou cobri-las com solo, para evitar que animais se alimentem das sementes tratadas.
- Armazenar as sementes tratadas em local seguro, separado de alimentos e rações e fora do alcance de crianças e animais.
- Após o tratamento das sementes, possíveis sobras do produto devem retornar a embalagem original de AVICTA 500 FS.
ATENÇÃO: As sementes tratadas com AVICTA 500 FS não devem ser usadas para alimentação humana, animal ou para fins industriais.
Recomenda-se identificar a sacaria das sementes tratadas com os dizeres: "Sementes tratadas com produtos químicos, não utilizar para alimentação humana ou anima.

INFORMAÇÕES SOBRE O MANEJO DE RESISTÊNCIA
A resistência de pragas a agrotóxicos ou qualquer outro agente de controle pode tornar-se um problema econômico, ou seja, fracassos no controle da praga podem ser observados devido à resistência. As seguintes estratégias podem prevenir, retardar ou reverter a evolução da resistência:
- Rotação de produtos com mecanismos de ação distintos, quando apropriado;
- Adotar outras táticas de controle, prevista no Manejo Integrado de Pragas (MIP) como rotação de culturas, controle biológico, controle por comportamento etc., sempre que disponível e apropriado;
- Utilizar as recomendações de dose e modo de aplicação de acordo com a bula do produto;
- Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para o direcionamento das principais estratégias regionais para o manejo de resistência e para a orientação técnica na aplicação de inseticidas;
- Informações sobre possíveis casos de resistência em insetos e ácaros devem ser encaminhados para o IRAC-BR, ou para o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.
AVICTA 500 FS é classificado como grupo 6 na classificação de Modo de Ação do IRAC.
Seu sítio de ação é classificado como “Ativador dos canais de Cloro”.
Não existem casos conhecidos de resistência de nematóides a produtos do grupo 6.

INFORMAÇÕES SOBRE MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS
Recomenda-se, de maneira geral, o manejo integrado das pragas, envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle.
O uso de sementes sadias, variedades resistentes, rotação de culturas, época adequada de semeadura, adubação equilibrada, inseticidas, controle biológico, destruição dos restos culturais, manejo da irrigação e outros, visam o melhor equilíbrio do sistema.

 

Efetivo
Culturas
Algodão
BBCH
0 - 0
Norma registrada
36 - 60
Intervalo de segurança
-
Culturas
Cana-de-açúcar
BBCH
0 - 0
Norma registrada
0 - 0
Intervalo de segurança
-
Culturas
Milho
BBCH
0 - 0
Norma registrada
0 - 0
Intervalo de segurança
-
Culturas
Sojas
BBCH
0 - 0
Norma registrada
60 - 75
Intervalo de segurança
-