Estrelinha (Flor amarela)
Melampodium perfoliatum

Espécie herbácea anual que se desenvolve nas Regiões Centro-Oeste e Sudeste do Brasil, onde estabeleceu populações significativas que avançam sobre os sistemas produtivos, causando danos econômicos. Instala-se em lavouras com cultivos anuais e perenes e áreas ocupadas com fruticultura, a exemplo da manga. Planta apícola.
Apresenta caule anguloso, tenro, coloração vermelho-acastanhada, piloso e com ramos dispostos em dicotomia superposta. Folhas opostas cruzadas, perfoliadas, ou seja, as bases dos pares são unidas e os pecíolos providos de alas em continuidade ao limbo. Limbo piloso e com formato variável na mesma planta, podendo ocorrer lanceolado típico, assimétrico, ovalado, ovalado com aurículas, no entanto, há predomínio do romboidal, ou seja, formato de losango com as margens irregularmente serreadas. Inflorescência do tipo capítulo, situado nos ângulos das bifurcações e nas axilas das folhas. Cada capítulo constitui-se de longo eixo, encimado por um conjunto de 5 brácteas foliáceas, semelhantes a um cálice, as quais dão assento a numerosas flores de coloração amarela e de sexo separado. As femininas ocupam a periferia do capítulo e as masculinas, o centro. Fruto seco do tipo aquênio, disposto radialmente no capítulo. Pode diferenciar-se de M. divaricatum porque nesta, a posição dos ramos é dicotômica cruzada e a perfoliação é menos expressiva, acrescentando-se ainda o tamanho dos capítulos, que são sempre menores. M. perfoliatum também pode ser diferenciado de M. paniculatum, o qual apresenta a perfoliação também menos expressiva, capítulos maiores e mais vistosos. Propagação por meio de sementes.
Planta invasora de média frequência, infestando principalmente lavouras anuais, pomares, cafezais e pastagens. Atinge grande porte, suplantando culturas de porte baixo. Prefere solos argilosos e férteis. É bastante variável no tamanho e forma de suas folhas.