Brazil

Cropstar

registration_data_unavailable
BAYER - insecticide
2506

Obs.: Este produto não está cadastrado na Secretaria da Agricultura do Estado do Paraná para os alvos Meloidogyne incognita em algodão, Spodoptera frugiperda em arroz, Liogenys sp e Pratylenchus brachyurus em soja, não podendo ser temporariamente recomendado/receitado neste Estado.

Algodão: A dose maior deverá ser usada em áreas de histórico de alta pressão de ocorrência da praga em plantio anterior. O tratamento de sementes não elimina os nematoides do solo em área infestada, devendo ser associado com outras técnicas como rotação de culturas.
Arroz: Usar a maior dose recomendada, quando houver histórico de alta pressão de lagarta-elasmo na área a ser plantada.
Feijão: Evite o plantio de feijão junto a lavouras mais antigas desta cultura com sintomas de mosaicodourado, ou lavouras de soja com forte presença de mosca-branca. Usar a maior dose recomendada, quando houver histórico de ocorrência de alta pressão das pragas.
Mamona: Usar a maior dose em regiões de pressão maior da praga.
Milho: Utilizar a maior dose quando houver histórico de forte pressão de lagarta-elasmo.
Soja: A dose maior deverá ser usada em regiões onde ocorreu alta infestação da praga no plantio anterior.
Trigo: Usar a maior dose recomendada para pulgões nas variedades suscetíveis ao VNAC.

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO
Uso exclusivo para o tratamento de sementes.

MODO DE APLICAÇÃO 
Volumes de calda recomendados:
Para as doses abaixo de 500 ml /100 kg de sementes, o produto pode ser diluído em água até completar este volume de calda.
Preparo da calda
Colocar a quantidade de produto desejada em um recipiente próprio para o preparo da calda. Acrescentar parte da água desejada gradativamente, misturando e formando uma calda homogênea.
Completar com a quantidade de água restante até atingir o volume de calda desejado. Importante: Manter a calda em agitação permanente para evitar decantação.
Equipamentos de aplicação
Utilizar equipamentos específicos que propiciem uma distribuição uniforme da dose desejada sobre as sementes.
Operação de tratamento de sementes
Com equipamentos de tratamento de batelada ou lotes, dos tipos Amazone Transmix, MecMaq Tratec, tambores rotativos, betoneiras e/ou similares: Colocar um peso de sementes conhecido. Adicionar o volume de calda desejado para este peso de sementes. Proceder à agitação/operação do equipamento de forma a obter uma distribuição uniforme da calda sobre as sementes durante um tempo de 1-2 minutos por batelada. Com equipamentos de tratamento com fluxo contínuo de sementes: Aferir o fluxo de sementes (peso) em um determinado período de tempo. Regular o volume de calda desejado para este peso de sementes no mesmo período de tempo. Importante: Aferir periodicamente o fluxo de sementes e de calda. O tratamento deverá ser efetuado em local arejado e específico para esse fim. Utilizar somente sementes limpas (livres de poeira e impurezas) e de boa qualidade (alto poder germinativo e bom vigor). As sementes tratadas, quando semeadas em solo úmido, garantem germinação e emergência uniforme logo após o tratamento. Obedecer as recomendações oficiais de profundidade de semeadura para cada cultivo.

INTERVALO DE SEGURANÇA
Não determinado por referir-se a tratamento de sementes antes do plantio.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS
Não determinado por referir-se a tratamento de sementes antes do plantio.

LIMITAÇÕES DE USO
Na operação de semeadura mecanizada com sementes tratadas, estas apresentam uma redução no fluxo, comparativamente a sementes não tratadas. Para evitar utilizar uma quantidade menor de sementes deve-se regular a semeadora com as sementes já tratadas.
As semeadoras e seus kits de distribuição de sementes, devem ser limpos diariamente para evitar o acúmulo de resíduos nas paredes e engrenagens das mesmas. Seguindo as instruções de uso e doses recomendadas, CROPSTAR não apresenta qualquer efeito fitotóxico nas culturas.
A semeadura sobre palhadas de gramíneas hospedeiras de diversas espécies de lagartas (Elasmo, Spodoptera, etc..) pode expor o novo cultivo a uma pressão inicial maior destas pragas e somente o controle com o tratamento de sementes pode não ser suficiente. Para um manejo correto nestas condições, recomenda-se fazer um levantamento da presença de lagartas na palhada e, caso observada a sua ocorrência, dar um intervalo de 3 semanas entre a dessecação e a semeadura.
A falta de umidade, após a germinação diminui a absorção e translocação de produtos sistêmicos via semente, podendo resultar em menor eficácia no controle. Recomenda-se uma complementação com pulverização de produtos indicados nesta modalidade, nas primeiras semanas após a emergência. O tratamento deverá ser efetuado em local arejado e específico para esse fim. Utilizar somente sementes limpas (livres de poeira e impurezas) e de boa qualidade (alto poder germinativo e bom vigor).
Não tratar as sementes diretamente sobre lonas, sacos ou mesmo nas caixas de sementes das máquinas semeadoras. Após o tratamento, as sementes devem ser mantidas à sombra. Sementes tratadas não podem ser utilizadas para alimentação humana e animal ou uso industrial e nem deixadas expostas sobre o solo.

INFORMAÇÕES SOBRE MANEJO DE RESISTÊNCIA
Qualquer agente de controle de inseto pode ficar menos efetivo ao longo do tempo se o inseto alvo desenvolver algum mecanismo de resistência. Implementando as seguintes estratégias de Manejo de Resistência a Inseticidas (MRI) poderíamos prolongar a vida útil dos inseticidas:
- Qualquer produto para controle de inseto da mesma classe ou modo de ação não deve ser utilizado em gerações consecutivas da mesma praga.
- Utilizar somente as doses recomendadas no rótulo / bula.
- Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para direcionamento sobre as recomendações locais para o MRI.

INFORMAÇÕES SOBRE MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS
Incluir outros métodos de controle de insetos (ex. Controle Cultural, Biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas (MIP) quando disponível e apropriado.

Efetivo
Culturas
Algodão
BBCH
0 - 0
Norma registrada
0 - 0
Intervalo de segurança
-
Culturas
Amendoins
BBCH
0 - 0
Norma registrada
0 - 0
Intervalo de segurança
-
Culturas
Arroz
BBCH
0 - 0
Norma registrada
0 - 0
Intervalo de segurança
-
Culturas
Aveias-de-primavera
BBCH
0 - 0
Norma registrada
0 - 0
Intervalo de segurança
-
Culturas
Aveias-de-inverno
BBCH
0 - 0
Norma registrada
0 - 0
Intervalo de segurança
-
Culturas
Cevada-de-primavera
BBCH
0 - 0
Norma registrada
0 - 0
Intervalo de segurança
-
Culturas
Cevada-de-inverno
BBCH
0 - 0
Norma registrada
0 - 0
Intervalo de segurança
-
Culturas
Feijões
BBCH
0 - 0
Norma registrada
0 - 0
Intervalo de segurança
-
Culturas
Milho
BBCH
0 - 0
Norma registrada
0.25 - 0.35
Intervalo de segurança
-
Culturas
Sojas
BBCH
0 - 0
Norma registrada
0 - 0
Intervalo de segurança
-
Culturas
Sorgo
BBCH
0 - 0
Norma registrada
0 - 0
Intervalo de segurança
-
Culturas
Trigo-de-inverno
BBCH
0 - 0
Norma registrada
0 - 0
Intervalo de segurança
-
Culturas
Trigo-de-primavera
BBCH
0 - 0
Norma registrada
0 - 0
Intervalo de segurança
-