Mancha alvo (Crestamento foliar)
Corynespora cassiicola (Cercospora melonis, Cercospora vignicola)

Descrição: Os sintomas característicos da doença são manchas foliares circulares que podem atingir até 2 cm de diâmetro, ocorrem principalmente nas folhas baixeiras e têm o centro escuro e anéis concêntricos.
O patógeno é cosmopolita e encontra-se em todas as regiões agrícolas do Brasil. Corynespora cassiicola é um patógeno onívoro, que ataca espécies de cerca de 50 famílias de plantas.

Danos: A mancha alvo é caracterizada por lesões que se iniciam por pontuações pardas, com halo amarelado, evoluindo para grandes manchas circulares, de coloração castanho-clara a castanho-escura, atingindo até 2 cm de diâmetro. Normalmente, as manchas apresentam uma pontuação no centro e anéis concêntricos de coloração mais escura, advindo daí o nome de mancha alvo. Plantas infectadas aparecem distribuídas ao acaso com amarelecimento das folhas e maturação prematura. Raízes infectadas apresentam cor castanho-clara. Após a morte da planta, em solo úmido, a raiz fica coberta por uma camada negra de conidióforos e conídios.

Controle: Para a cultura da soja deve-se usar sementes limpas e tratadas com fungicidas, mas a via mais eficiente no controle da doença é o uso de variedades resistentes. A rotação de culturas, principalmente com milho ou outras gramíneas, também promovem um bom controle. Quando se tratar de monocultura de soja, é recomendável realizar o revolvimento do solo para enterrar profundamente os restos de colheitas infectados.
Para outras culturas, o controle químico é economicamente viável em viveiros e jardins clonais, aplicando-se de preferência na estação chuvosa, assim que sejam observados os primeiros sintomas. Pulverizações com calda bordelesa e ditiocarbamatos têm dado bons resultados no controle da doença.