Mentruz (Agrião, Mastruço-do-sul)
Lepidium virginicum (Lepidium bernardium, Lepidium hirsutum)

Espécie herbácea anual que se desenvolve nas Regiões Centro-Oeste, Sudeste, Sul e no Estado da Bahia. Vegeta em ambientes úmidos ocupados por culturas olerícolas, a exemplo da alface, alho, beterraba, cebola, cenoura e tomate, entre outras. Ocorre também em pomares de laranja e quadras de maracujá. Hospedeira da mosca-branca, Bemisia tabaci raça B, responsável pela transmissão do Begomovirus, e de afídeos transmissores do vírus PRSV-p, responsável pelo mosaico do mamoeiro. Considerada planta apícola por fornecer néctar e pólen para abelhas.
Apresenta caule verde, cilíndrico, muito ramificado e com cerosidade. Folhas alternadas helicoidais, as da base da planta muito recortadas, simulando folha composta, e as do ápice longo-lanceoladas, com margens espaçadamente serreadas. Inflorescência axilar do tipo cacho, situada na porção superior da planta. Flores de tamanho reduzido, de coloração branca, constituídas por longo pedúnculo, cálice com 4 sépalas, corola com 4 pétalas livres dispostas em forma de cruz, que protegem o androceu com os estames encurvados sobre o gineceu, com amplo ovário globoso e verde. Fruto do tipo síliqua arredondada, que se separa em 2 metades, cada uma contendo uma semente e deixando sempre aderido à planta-mãe o pedúnculo, e na sua extremidade o sistema placentário. Assemelha-se muito com L. ruderale, as quais podem ser diferenciadas pelos frutos. Em L. virginicum, o fruto do tipo síliqua é arredondado, com ápice pouco emarginado, já L. ruderale apresenta síliqua oblonga, ou seja, mais longa do que larga, também com o ápice pouco emarginado. Propagação por meio de sementes.
Planta invasora invernal muito comum em lavouras anuais, pomares, hortas, viveiros de produção de mudas, sendo também encontrada em jardins e terrenos baldios. Infestante da cultura de alho. Instala-se em solos ácidos. Compete com culturas de verão e inverno. Possui fins terapêuticos.